Caminhada aventura de Talim a Lisboa!

Bilhete para Ryde

 

As festas acabaram e nós estávamos sentados no comboio de volta a Portsmouth, a cantar alegremente: “Temos um bilhete para Ryde” (vocês podem agora cantarolar a música dos Beatles “Ticket to Ride”).

Em Londres, onde tínhamos festejado o Ano Novo, já comprámos os bilhetes para o hovercraft que vai para Ryde, na costa leste da ilha de Wight. Para a nossa grande decepção, fomos informados ao chegar em Portsmouth, que o hovercraft não trabalharia naquele dia e que nós teríamos de pegar um ferry mais lento. Este foi operado por uma outra empresa, que não aceitava os nossos bilhetes do hovercraft. No final, conseguimos chegar à ilha e, após um pouco de insistência, recebemos o dinheiro dos bilhetes não utilizados de volta. Na galeria de imagens que segue, podem ver o hovercraft encalhado.

 

Os dias 247 e 248, os primeiros dias de caminhada no ano de 2016, foram bastante regulares. Estávamos a caminhar na ilha de Wight, estava nublado, estava chovendo, o sol aparecia, os trilhos eram enlameados, víamos paisagens bonitas e parávamos em algumas vilas simpáticas.

 

O dia seguinte entretanto, o nosso último dia inteiro na ilha, conseguiu bater todos os recordes de cenários dramáticos e lindíssimos. Partimos de Newport, no centro da ilha, e caminhámos até a ponta mais ao oeste, Tennyson Down, junto à costa sul virada para o mar aberto. Por causa dos ventos fortes, o tempo estava a mudar constantemente. Para lhes dar uma ideia, algumas das fotos em baixo foram tiradas no espaço de poucos minutos – e estão na ordem cronológica correta. Uma vez que chegámos à ponta da ilha, virámos e seguimos a costa norte. Só então conseguimos avistar os Needles, uma famosa formação rochosa na baía de Alum. Tínhamos ficado a alguns metros de distância destas rochas quando estávamos na ponta, mas como o ponto de observação estava fechado, apenas as vimos de longe.

 

No dia 250 da nossa caminhada, andámos um pouco até Yarmouth, de onde nós apanhámos um ferry de volta à costa inglesa. As paisagens no outro lado eram igualmente impressionantes, estávamos a caminhar por meio do sapal do estuário do Solent, onde o céu maravilhoso ficava duplicado pelo reflexo da água. Quando chegámos a Milford on Sea, estávamos de volta ao litoral do Mar do Norte e observámos os Needles pela última vez, assim como um pôr-do-sol magnífico.

 

Andámos ao longo da costa no dia seguinte, ora no topo das falésias com um aspecto muito frágil (sempre quando pudemos escolher, optámos pelo trilho mais afastado da beira), ora em baixo no passeio junto à praia. A mudança entre um e outro significava vencer uma diferença considerável em altitude, mas o esforço adicional valia a pena. Como daquela vez em que subimos da praia para chegar num parque lindíssimo, com um imponente palácio do período romântico no seu centro. Highcliffe Castle tem uma cafetaria para seus visitantes e nós desfrutámos do nosso chá das cinco com scones e natas, sentados no parque.
De volta à praia, ficámos curiosos sobre as longas fileiras de casinhas coloridas de madeira. Para que serviam? Seriam elas armazéns para equipamento de pesca? Quiosques a vender refrescos no verão? A resposta veio logo. Graças ao agradável sol de janeiro, algumas estavam abertas, a revelar o seu interior. São casinhas de praia, completamente equipadas com todo o necessário para preparar o chá. As portas abertas protegiam os donos felizardos do vento gelado, de maneira que podiam sentar e aproveitar o sol.
À medida que avançámos, a passar por dezenas de pessoas contentes a encher as suas reservas de vitamina D, aproximámo-nos de um cais. Deste ponto, um ferry haveria de nos levar para atravessar um pequeno rio, para que pudéssemos continuar a nossa caminhada na praia até Bournemouth. Só que não nos levou. A placa, em que a companhia de ferry pedia desculpas educadamente, significava que tivemos de dar a volta pela baía toda e que perderíamos a nossa caminhada na praia. Ao menos passámos por alguns edifícios interessantes junto aos canais de Christchurch. Finalmente, voltámos à costa na parte leste de Bournemouth, uma cidade de praia famosa pela sua agitada vida noturna. Não havia vida noturna para nós depois desta caminhada, apenas um salto na piscina do hotel (um dos pernoites mais baratos em toda a nossa passagem pelo Reino Unido) e um bom jantar para finalizar o dia.

 

Também no dia 252, foi decisiva a questão se o ferry funcionaria ou não. Se vocês observarem a imagem, vêem uma praia em forma de um semicírculo perfeito até Old Harry Rocks (seta vermelha). O problema foi que, na altura da seta azul, ficava a entrada para a baía de Shell. Apenas 250m separavam uma margem da outra, mas sem o serviço de ferry, teríamos de caminhar um dia a mais para chegar a Swanage.

Desta vez, estávamos com sorte – até disseram-nos que o ferry só funcionava por causa do tempo ótimo – e depois de poucos minutos no ferry, chegámos na praia de Studland, onde a areia era perfeita para caminhar e o sol brilhava de cima. Ainda melhor foi chegar a Old Harry Rocks, um grupo de rochas espetacular, a levantar-se bem acima do mar. Olhem bem o tamanho da sombra do José, quando ele estava a tirar uma foto de uma destas gigantescas rochas brancas. No caminho, encontrámos um grupinho alegre de voluntárias da Alemanha, tão contentes como nós de estar neste sítio magnífico num dia tão lindo.
A nossa caminhada ainda não terminara, tínhamos de ir até Swanage, uma charmosa cidade portuária, localizada convenientemente entre as longas praias pelas quais acabáramos de passar, e a Costa Jurássica – o nosso próximo desafio. Mas antes de encarar as subidas e descidas nas falésias que estavam à nossa frente, descansámos um pouco numa pousada de juventude em estilo vitoriano. Tem classe, vocês não acham?

a carregar o mapa - aguarde por favor...

Portsmouth Ferry: 50.792906, -1.106207
Ryde: 50.739477, -1.159573
The Spinnaker: 50.685918, -1.083390
The Waverley Inn: 50.691648, -1.315613
Whitefied: 50.680472, -1.541056
Yarmouth Ferry: 50.706495, -1.500591
Lymjngton: 50.756655, -1.528415
The Beach House: 50.723778, -1.596917
Suncliff: 50.719556, -1.860451
YHA Swanage: 50.606065, -1.958055

 

Leave a reply

Estatisticas

km

12 países atravessados
319 dias de caminhada
89 dias de descanso

Actualizado em 11/06/2016 – CHEGAMOS A LISBOA!